sexta-feira, novembro 10, 2006

Nota de Leitura - Cartas Portuguesas

Ontem li as cinco Cartas Portuguesas, escritas pela freira Mariana Alcoforado, pelos idos de 1600. As cartas teriam sido dirigidas ao Sr. Cavalheiro De Chamilly, um oficial francês que servia em Portugal. O conteúdo? A súplica desesperada de uma mulher perdida [de amor].

Em
meio às incertezas do abandono, a sóror vai construindo todo um arrazoado acerca de seus sentimentos, dos sentimentos de seu amante, e dos fatos que envolvem essa relação interditada.
Descontando-se, como disse Pessoa, o caráter ridículo de todas as cartas desse tipo, aquilo que pode parecer apenas a expressão de uma profunda dor, de uma profunda dor de cotovelo... é na verdade um texto muito bem escrito, sem breguiçes sentimentais, que eu recomendaria a todos --- apaixonados ou desiludidos.

8 comentários:

João Paulo Medeiros disse...

"Eita, cara estudioso da peste!"

Samelly Xavier disse...

Márcio, quando eu fui fazer o trabalho de Literatura Portuguesa que, como você sabe, não fui eu quem fiz, eu li alguns fragmentos dessas cartas.
Agora, imagina o quanto essa mulher sofreu. Ela era a própria concretização do Barroco em corpo, alma e dor. Tadinha...
E concordo: não é só uma carta ridícula de amor, é uma pitada de sentimento num texto muito bem escrito, onde, ás vezes a gente se pergunta "em que lugar escondemos essa nossa capacidade de amar?"

Beijo recitado!

Samelly, uma apaixonada desiludida... (ou seria o contrário)

Márcio S. Sobrinho disse...

ah, samelly, então vc precisa ler as cartas inteiras... até pq são curtas. uma coisa interessante, que esqueci de citar, é como elas vão mudando de tom: o desespero todo termina com algo mais ou menos como: "essa é minha última carta. cuida da tua vida que eu cuido da minha", e não diz nem xau. é pq, como vc disse, ela era barroca, não romântica; e nessa época se morre de dúvida, não de amor. :)

Márcio S. Sobrinho disse...

jp, deixa de fazer fumaça!

Anna Barros disse...

Ah... c vai me emprestar seu livro neh? Pra eu ler a cartas portuguesas? hehehehe...

Abs, Anninha

Márcio S. Sobrinho disse...

é cRário, naninha. :) empresto sim!

Paula Theotonio disse...

segunda na fila pra ler!

Márcio S. Sobrinho disse...

teve gente que nem pediu e já levou :\
tá emprestado, mas assim que pegar repasso, pela ordem dessa vez. :)